Warning: mysql_query(): supplied argument is not a valid MySQL-Link resource in /home/storage/e/67/a9/evangelizabrasil1/public_html/wp-content/plugins/wordpress-form-manager/db.php on line 35

Warning: mysql_num_rows(): supplied argument is not a valid MySQL result resource in /home/storage/e/67/a9/evangelizabrasil1/public_html/wp-content/plugins/wordpress-form-manager/db.php on line 741
Evangeliza Brasil | O portal da evangelização

Contatos

Acompanhe o trabalho da AMME pela evangelização, apoie essa grande obra.

Para contato por e-mail com o portal da evangelização escreva para: portal@evangelizabrasil.com

Para contato telefônico com a AMME Evangelizar e Salva Vidas prefira ligar para (11) 4428 3222.

Atenção: Novo endereço do escritório da AMME - Avenida Itamarati, 192 - Vila Curuçá, Santo André - SP, 09290-730

Facebook: Curta a página da AMME no Facebook [clique]

Ofertas

A AMME evangelizar é sustentada biblicamente, pelas ofertas daqueles a quem serve (Gl 6:6).

Doe agora (pagseguro), faça sua oferta , com segurança e facilidade. Clique no botão ‘Doar’ e siga as instruções.

 

Deposite sua oferta para AMME no Banco do Brasil Agência: 1557-1 Conta: 115278-5

Para ofertas mensais solicite boletos por telefone: (11) 4428 3222, e-mail: portal@evangelizabrasil.com

Para ofertas em material, equipamento e serviço consulte as especificações pelo telefone (11) 4428 3222

Oficina da AMME

Solicite agora uma oficina de evangelização para a sua igreja. Clique>

O livro de Marcos

Essa é a nova publicação evangelística da AMME para ajudar sua igreja na evangelização. Para mais informações [clique aqui].

A visão de Cristo

Para ajudar a Igreja Brasileira é preciso olhar para ela como Cristo a vê. Conheça o Manifesto da Visão que tem orientado a AMME evangelizar desde a sua fundação. Nossa visão é chamar a Igreja Brasileira de volta ao primeiro amor e ajudá-la a fazer as coisas mais importantes. Seis minutos de leitura: A Visão de Cristo (8155)

6° CBM – Quinto dia

Desde o ano passado a AMME definiu sua participação no 6° CBM. Uma decisão estratégica de longo prazo não é funcional para o estilo administrativo de nosso ministério, portanto s decisão inicial foi tática. Nossa missão é associada à AMTB, estamos totalmente envolvidos no esforço missionário da Igreja brasileira, temos realizado um esforço sem precedentes e com muitos resultados na evangelização. Era certo estarmos presentes.

Há cerca de um mês e meio designou-se uma equipe para desenvolver o planejamento estratégico de curto prazo de nossa participação e essa equipe definiu os objetivos, os indicadores, o serviço a comunicação, a equipe de trabalho, os prazos e os recursos que seriam aplicados. Os missionários da AMME estão habituados a servir ao Senhor do modo mais organizado e dinâmico possível, e isso sempre tem produzido muitos bons frutos.

No estande montado a poucos metros da porta do auditório principal, os objetivos estratégicos já haviam sido atingidos na quinta-feira à tarde. Até sexta-feira pela manhã, mais de 450 líderes de ministério, pastores e missionários já haviam recebido uma apresentação completa do ministério. Esse trabalho gerou muitos contatos novos para ações em todo o país. A palestra ‘O papel da evangelização na missão’, que apresentamos na quarta-feira, embora secundarizada por vários inconvenientes da logística e planejamento do congresso, contou com sala cheia e transcorreu vibrante e intensa.

A AMME ainda participou do evento de lançamento de livros sobre missões e, entre tantos títulos, apresentou os dois únicos livros que envolvem adolescentes como alvos e como agentes da evangelização, aparecendo como a voz dos adolescentes e jovens no tema mais estranhamente ausente no Congresso.

Devemos agradecer a Deus pela equipe eficiente e comprometida que temos, disposta a servir à Igreja Brasileira em Cristo. Devemos agradecer a Deus também pelas ferramentas que Ele nos deu e que nos ajudam a realizar um trabalho cada vez melhor. Sem Ele, nada podemos fazer.

6º CBM – Quarto dia

Na tarde desse quarto dia do 6° Congresso Brasileiro de Missões, Ronaldo Lidório ministrou “Sete Práticas Essenciais para a Implantação de Igrejas”. Como se podia esperar, foi uma palestra objetiva, inteligente, pertinente e aplicável.

Ronaldo abriu a palestra lendo os primeiros versículos de Atos 13, apresentando o cenário do envio de Barnabé e Saulo. Concentrou-se no termo ‘Serviam’ do grego liturgueo, pessoas que servem ao público, servidores. Ele fez aplicações dessa introdução: a) não envie para longe quem não é um servidor próximo. Quem não serve onde está não servirá onde for. b) a igreja que não é servidora onde está não servira em missões.

Depois, o palestrante discorreu com substanciais justificativas sobre o que, em sua experiência pessoal, considera as “Sete práticas essenciais no plantio de igrejas”.

1. Oração – Orar, pedir que outros orem, ensinar a igreja plantada a orar. Lidório testemunhou sobre a importância do ministério de oração de sua mãe em seu ministério.

2. Evangelização abundante – Nada substitui a evangelização em missões – Evangelização abundante é aproveitar todas as oportunidades que Deus dá. Lidório insistiu em que a abundância da evangelização não se mede em números absolutos, mas na relação entre as oportunidades e o aproveitamento delas.

3. Intencionalidade – Lidório citou autor que afirma que 75% das igrejas plantadas em áreas resistentes ao Evangelho não o foram de modo natural, mas com planejamento. Chamou a atenção para a necessidade de definir áreas para a plantação de igrejas e a ação estratégica para a realização de tais planos.

4. Fidelidade à Palavra – O palestrante insistiu que os participantes não deveriam ter receio que as pessoas não compreendam as Escrituras. Reforçou essa idéia com exemplos de povos recém alcançados e como foram capazes de compreender as Escrituras.

5. discipulado – O discipulado multiplicador, muito diferente de dar uma aula, é ensinar com o exemplo, levando pessoas para participarem das atividades e, dessa forma, gerando novos líderes para a continuidade e autonomia da igreja.

6. Planejamento – Lidório dedicou um bom tempo estimulando os presentes a fazerem planejamento, começando da importância da visão, passando pela definição de objetivos e concluindo com a importância do planejamento das ações.

7. Dependência do Espírito – Lidório concluiu a relação de práticas essenciais com intenso e tocante chamado á dependência do Espírito Santo.

Finalmente o preletor concluiu convidando os participantes para dois minutos de discussão em equipe, sobre o ponto em que cada ministério teria maior carência. Depois encerrou-se com oração pela ação de Deus sobre tais carências.

6º CBM – Terceiro dia

Esse é o terceiro dia do Congresso aberto na segunda feira. O tema tem ênfase na transformação e há um esforço em insistir nessa questão embora em um caleidoscópio de opiniões e grandes contrastes entre a plataforma e os assentos.

Minha visão pessoal é que, bem similar ao Congresso Lausanne há um ano, a conjuntura atual não favorece decisões significativas em eventos como esses. Eles tendem a ser maiores enquanto menos decisivos. Os participantes poderão sair com um colar de possibilidades e ainda a responsabilidade de decidirem sós suas próprias opções.

Como na Semana da AMME, em agosto desse ano, minha esperança reside na idéia bíblica de que, se alguém permanece buscando a justiça, a escuridão se tornará, com certeza, em dia perfeito (Pv 4:18). Pode ser que não seja imediatamente, mas ainda veremos com clareza onde a Igreja Brasileira está e para onde deve ir, se tão somente perseverarmos e insistirmos em viver conforme Deus considera justo.

Enquanto esperamos a aurora, estarmos juntos e insistirmos em buscar a vontade de Deus para o cumprimento da missão são atos de justiça que glorificam ao Senhor e por fim trarão luz sobre o tempo que vivemos. Enquanto olhamos uns para os outros, vendo sempre uma temerosa interrogação sobre o futuro da Igreja e da missão, Deus vai derramando seu amor sobre nós e produzindo uma esperança que não traz confusão.

6° CBM – Segundo dia

Realizar um evento nas dimensões do 6º Congresso Brasileiro de Missões não é fácil, e a equipe organizadora merece parabéns pelo feito heróico. Contudo, há um grande espaço para revisão e melhoria, considerando um próximo evento. Um dos primeiros aspectos a considerar foi a condição que a liderança da AMTB se impôs de que o evento deveria ser realizado fora do eixo Rio – São Paulo. Embora cheio de boas intenções, o racocínio geográfico não concorda com a realidade da distribuição de infra-estrutura em nosso país. Isso se fez sentir mais nitidamente no segundo dia, depois da euforia da chegada.

Embora a esperança de orientação e direção nesses dias conturbados tenha trazido um número expressivo de pessoas ao 6° CBM, e o apelo de unir o útil ao agradável tenha inflacionado um pouco o número de inscritos com a vinda de várias famílias em seus trajes de banho, o fato é que o evento nos interiores de Goiás onerou bastante a participação.

Início e final do Congresso foram perturbados pela movimentação das mais diversificadas e custosas combinações de transportes que os participantes precisaram fazer para chegar e sair do local do evento. Entre o minúsculo aeroporto da capital goiana, por exemplo e as antes quentes águas de Caldas Novas, ainda era necessário se transportar por mais de duas horas em rodovia. Para quem saiu de qualquer parte mais densa e permanentemente habitada do país (‘permanentemente’ exclui Brasília), 10 horas ou mais de estradas estreitas e frequentemente precárias foi o preço que se adicionou à inscrição.

Uma vez hospedados em diversos hotéis do monopólio diRoma, logo se notou a diferença entre um complexo turístico da classe média e um centro de convenções. O salão principal, ao pé de uma colina, obrigava os participantes a uma peregrinação penitencial, quase sempre sob sol quente, dos quartos para as plenárias, das plenárias para o almoço, do almoço para as oficinas, das oficinas para o jantar e do jantar para as plenárias. Centenas ficavam pelo caminho, esqueciam-se nos quartos, iam se refrescar nas piscinas ou se arriscavam no cruzamento comprovadamente perigoso da avenida em frente. Isso esvaziou as oficinas da tarde, atrasou o quorum no início das plenárias, dispersou a atenção, arriscou vidas e provocou saudades dos eventos realizados em Águas de Lindóia – SP.

Notou-se também a falta de muitos pequenos serviços que a empresa contratada não planeja dispor a famílias que se hospedam para suas piscinas populares, mas que deveriam estar disponíveis para convencionais. Coffee breaks nas palestras, bebedouros nas salas de reunião, lanchonete, internet, nota fiscal (emitiam cupons fiscais para cada consumo) e coisas assim.

Paciência. Fico imaginando o que seria se houvesse prevalecido a idéia de se realizar o evento em algum lugar ainda menos aparelhado do nordeste.

AMME EVANGELIZAR MINAS GERAIS!

Buscando cumprir com seu propósito, a AMME esteve presente em Minas Gerais nas cidades de Uberaba, Juiz de Fora e Ubá.
O conjunto de ações nestas cidades resultou em mais de 90 líderes treinados, mais de 40 igrejas alcançadas e ainda culminou na possibilidade de avanço na ajuda as igrejas destas regiões, a partir de outros programas oferecidos pela AMME.
A AMME é grata à Deus, pois através de pessoas como a Missª. Maria Líbia, Pr. Sergio Paulo, Pr. Maurílio, Pr. José Helvécio e tantos outros, está avançando na ajuda as igrejas.
Você pode fazer parte deste ministério! Pode permitir que a AMME avance na ajuda a mais igrejas. Seja um Ceifeiro!
Ceifeiro é aquele que oferta recursos, dons, capacidades e tempo nos ajudando para que mais igrejas possam cumprir com o IDE: Indo, Doando e Evangelizando.
Entre em contato conosco e seja um Ceifeiro deste ministério.

AMME + IGREJAS
Juntos Pelo Reino!
(11) 4428-3222

6º CBM – Primeiro dia

Na abertura do 6º Congresso Brasileiro de Missões, Valdir Steuernagel, repetiu o tema que o tem movido na reedição da Aliança Evangélica: “Para que o mundo creia!” Jo 17:21c. A AMTB se associou à Aliança Evangélica e essa nova organização teve expressivo espaço durante o 6º CBM. É inegável que o amor entre os irmãos é um princípio fundamental da fé e da transformação. Exortando a Igreja à Unidade como modelo de Missão, Valdir falou de algo que sensibiliza a Igreja desde de sempre. Depois, a missióloga Durvalina Barreto Bezerra do Betel conduziu a assistência em intensa oração pela unidade da Igreja.

Na prática, tal unidade é mais difícil de conquistar. Questões culturais, identidades peculiares, interesses específicos, divergências estratégicas têm nos mantido bem separadas, tanto as missões como as igrejas. Um exemplo dessa dificuldade é, por exemplo, o planejamento de ações para a Copa 2014. Enquanto todos falam de unidade, cada missão tratava, durante o congresso e além dele, de lançar sua muito particular iniciativa e chamar todos os outros para se unirem ao seu projeto particular. Outro exemplo é a própria Aliança Evangélica tentando definir quem efetivamente são os evangélicos a serem incluídos e representados.

A distensão entre históricos e pentecostais, evangelistas e teólogos, tradução da Bíblia e plantação de igrejas, Bíblia e contexto, ação social e evangelização, missionários estrangeiros e nacionais, seria evidente durante todo o Congresso, embora vigorosamente denunciada e combatida em palestras como as de Ronaldo Lidório e de Aurivan Marins. De palestrante para palestrante, nos corredores da exposição, nas salas e nos corredores, correntes divergentes fluiam em movimentos paralelos, amenizados apenas pela educação e gentileza.

É na costura de parcerias que essa dificuldade na unidade mais se tem evidenciado, afinal, a unidade conceitual é utópia. É na unidade funcional, na conjunção missional que a unidade se torna eficiente e efetiva. Cada líder de agência missionária sabe que precisa desenvolver parcerias, sabe que não faremos a enorme e variada obra diante de nós sem cooperação. Então se esforçam, falam nos bastidores, tomam iniciativas, dão uns primeiros passos, sonham juntos e depois… nada ou muito pouco! A consecução de parcerias esbarra no apego a culturas particulares de cada organização, no receio de negociar elementos identitários em favor de uma visão coletiva e na difícil equalização da partição de responsabilidades.

Prato cheio para os críticos do sistema que se recusam a apresentar solução e se acham muito confortáveis em apedrejar aqueles que lutam com tanta dificuldade sobre a areia movediça de nossos dias. Além de nos faltar, no âmbito da nação, nas administração de organizações governamentais, privadas e sociais, uma história bem sucedida de parcerias que nos sirva de referência, também somos afetados pela pós-modernidade com a fluidez das instituições, coisa que dificulta ainda mais a homocinética organizacional.

A exortação à unidade é milenar, mas, sem desenvolver vias organizacionais para realizar sua funcionalidade, apenas gera grande estresse de iniciativa. Penso que, para levarmos a unidade a um nível prático, precisamos primeiro discutir soluções para superar os entraves ao trabalho em parceria.

Adolescente é café com leite?

Você já deve ter ouvido essa expressão e sabe que significa que uma pessoa que pensava fazer parte da brincadeira não poderia ser pega ou excluída do jogo. Muitas vezes, é possível ver este mesmo comportamento quando analisamos a postura de alguns líderes para com os adolescentes, não exigindo responsabilidade nem compromisso, julgando que isso não é necessário pelo fato deles serem muito novos e começam a pensar que adolescentes e jovens são café com leite na batalha espiritual.

A AMME Evangelizar motiva as igrejas a valorizar o adolescente como alvo e agente da evangelização. Sabemos que o inimigo tem destruído a vida de jovens e adolescentes sem piedade e, por isso, temos nos esforçado para preparar a liderança a como enfrentar este desafio.

E você? Deseja que seus adolescentes sejam fortalecidos na fé e sejam ativos no ministério?

Participe do Seminário Líder Adolescente!!!


 

Pacificadores 2012 (Programa Geral)

PACIFICADORES é a escola de liderança para adolescentes e jovens cristãos. Em janeiro de 2012, durante 15 dias, adolescentes e jovens de todo o Brasil vão ser capacitados para perseverar na fé e equipados para ajudarem seus colegas. A escola é a principal ação da AMME no enfrentamento do desvio de adolescentes e jovens.

O programa de PACIFICADORES foi desenvolvido especialmente para adolescentes e jovens. Interessante, surpreendente e desafiador, o programa é cheio de surpresas, usa as artes cênicas e plásticas, está firmemente fundamentado nas Escrituras e trata de temas atuais e relevantes.

PACIFICADORES será realizada de 7 a 21 de janeiro de 2012 em Pindamonhangaba – SP. Adolescentes e jovens de todo o país estão se inscrevendo para participar. Para mais informações e inscrições veja o site da escola em www.pacificadores.org

Sábado 07

Domingo 08

Segunda 09

Terça 10

 

Café
Alvorada
Nossa Luta
Fundamento: Neemias 1

Café
Alvorada
Nossa Luta
Fundamento: Neemias 2

Café
Alvorada
Nossa Luta
Fundamento: Neemias 3

Recepção

Almoço
Fórum Apolo
(Conquiste seu espaço)

Almoço
VIB: FÓRUM Apolo I

Almoço
VIB: FÓRUM Apolo II

Jantar
Integração
Culto de abertura
Lanche

Jantar
Percepção Espiritual
Dinâmicas
Missiolanche.

Jantar
Projeto N
Arena da Paz
Missiolanche.

Jantar
Projeto N
Arena da Paz
Missiolanche.

Quarta 11

Quinta 12

Sexta 13

Sábado 14

Café
Alvorada
Nossa Luta
Fundamento: Neemias 4

Café
Alvorada
Nossa Luta
Fundamento: Neemias 5

Café
Alvorada
Nossa Luta
Fundamento: Neemias 6

 

 

 

Programação

Especial

 

 

 

Almoço
VIB: FÓRUM Apolo III

Almoço
VIB: FÓRUM Apolo IV

Almoço
VIB: FÓRUM Apolo V

Jantar
Projeto N
Arena da Paz
Missiolanche.

Jantar
Projeto N
Arena da Paz
Missiolanche.

Jantar
Projeto N
Arena da Paz
Missiolanche.

Domingo 15

Segunta 16

Terça 17

Quarta 18

Café
Alvorada
Nossa Luta
Fundamento: Neemias 7

Café
Alvorada
Nossa Luta
Fundamento: Neemias 8

Café
Alvorada
Nossa Luta
Fundamento: Neemias 9

Café
Alvorada
Nossa Luta
Fundamento: Neemias 10

Almoço
VIB: FÓRUM Apolo VI

Almoço
VIB: FÓRUM Apolo VII

Almoço
VIB: FÓRUM Apolo VIII

Almoço
VIB: FÓRUM Apolo IX

Jantar
Projeto N
Arena da Paz
Missiolanche.

Jantar
Projeto N
Arena da Paz
Missiolanche.

Jantar
Projeto N
Arena da Paz
Missiolanche.

Jantar
Projeto N
Arena da Paz
Missiolanche.

Quinta 19

Sexta 20

Sábado 21

Domingo 22

Café
Alvorada
Nossa Luta
Fundamento: Neemias 11

Café
Alvorada
Nossa Luta
Fundamento: Neemias 12

Café
Alvorada
Nossa Luta
Fundamento: Neemias 13

Saída até 10:00hs

Almoço
VIB: FÓRUM Apolo X

Almoço
VIB: FÓRUM Apolo XI
(conclusão)

Almoço
Programação Especial

 

Jantar
Projeto N
Arena da Paz
Missiolanche.

Jantar
Projeto N
Arena da Paz
Missiolanche.

Jantar
Avaliação
Culto de encerramento

 

 

Três currículos estão planejados para PACIFICADORES: adolescentes (14 a 17 anos), jovens (18 a 24 anos) e líderes de ministério. Os currículos estão organizados em sete trilhos que percorrerão todo o programa, além de algumas programações especiais. Os trilhos Alvorada e Missiolanche serão comuns aos três currículos. Os outros trilhos serão específicos para cada um.

Leia mais »

016. Paz na escola

Enfrentando a VRC no ambiente escolar
Quem visita uma escola como a Pró-Saber em dia de Mostra Cultural, e vê todos os alunos cooperando gentilmente, apresentando maravilhosos trabalhos de artes plásticas e expressão corporal, não imagina o enorme esforço e constante trabalho de professores e dos próprios alunos para alcançar esse nível de relacionamento inter-pessoal. Também não imagina que esse é um cenário de uma das muitas histórias que fizeram os cem milhões de pessoas alcançadas pela mensagem do Evangelho através do trabalho da AMME Evangelizar.

A Escola Pró-Saber é uma escola de referência na metodologia do Ensino Centrado em Princípios Cristãos. Tanto a Pró-Saber como a própria associação de escolas dessa metodologia, a AECEP, são parceiras da AMME, por causa da ênfase que a missão dá à evangelização de crianças, adolescentes e jovens. Uma das áreas em que essa evangelização tem se feito mais necessária é na questão da Violência Repetida entre Colegas – VRC, também conhecida em Inglês como bullying.

Esse tipo de violência, como qualquer pecado, está ligado à alma das pessoas e se manifesta em todo lugar onde elas estão, mesmo em uma escola de Ensino por Princípios Cristãos. A resposta da Igreja é a evangelização. Levar crianças e adolescentes e crianças a agir conforme o Evangelho de Cristo, exige um trabalho criterioso na construção de um novo repertório de atitudes baseado na fé. É o que sugere o programa ‘Caminho da Paz’, programa da AMME implantado pela escola e tema do sétimo ano, sob a coordenação da professora Neide Brasileiro, na Mostra Cultural desse sábado.

A Mostra é a exposição de projetos que a escola realiza durante todo o ano. Em 2011 a escola deu ênfase a um de seus pontos fortes: a inteligência emocional. Vários aspectos foram explorados e um dos mais importantes foi o enfrentamento da Violência Repetida entre Colegas – VRC. Em 2007, quando a AMME preparava o programa Caminho da Paz, reconhecendo que esse tipo de violência é a principal estrutura de pecado que escraviza adolescentes recentes, a escola Pró-Saber foi uma das que se abriu para a pesquisa. Desde então o tema tem recebido atenção constante.

No início do ano a diretora pedagógica da escola, professora Cláudia Vieira Zechetti, e vários professores da equipe participaram de uma oficina sobre o tema, ministrada pelo pastor José Bernardo. Depois os professores organizaram o conteúdo em uma palestra para os alunos que fizeram relatórios sobre o assunto. O livro ‘Caminho da Paz’, produzido pela AMME foi uma das leituras transversais do semestre, seguido por outras leituras afins. Os alunos também criaram uma contextualização da Parábola do Samaritano, texto básico do programa, e a filmaram em um interessante vídeo. Também fizeram uma produção fotográfica ilustrando as sete atitudes ensinadas no programa.

Durante a Mostra Cultural, a professora Neide explicou a pais e outros visitantes, o programa desenvolvido com os alunos. Eles próprios apresentaram as sete atitudes do Caminho da Paz, exibiram as fotos e o vídeo que fizeram e presentearam os visitantes com uma cópia do livro. Contudo, a melhor mostra desse programa de enfrentamento da VRC tem sido no dia a dia, no relacionamento dos alunos, em uma verdadeira demonstração de amor ao próximo, moderada por professores comprometidos em ensinar as crianças no caminho em que devem andar. Uma escola livre de violência, não é somente um ótimo local para deixar os filhos em segurança, mas também o ambiente ideal para que cresçam como Jesus, cheios de graça e sabedoria. Parabéns Pró-Saber.

Violência Repetida entre Colegas – VRC é a expressão cunhada pela AMME para se referir claramente ao tipo de violência em questão, inapropriadamente referido como bullying. O Caminho da Paz é o programa de evangelização da AMME para adolescentes de 12 a 14 anos de idade. As igrejas e escolas cristãs interessadas devem entrar em contato com o diretor de atendimento regional para treinamento e suprimento. Telefone para (11) 4428 3222 ou escreva para portal@evangelizabrasil.com.

Permalink


AMME Evangelizar Acontece

Casa da Palavra, 05 de outubro de 2011 – Desde o dia primeiro de outubro os missionários da AMME Evangelizar receberam líderes de ministérios de dois países africanos, pastor Isaac Luciano (segundo desde a direita na foto) de Angola e pastor Fernando Chauque (segundo desde a esquerda na foto) de Moçambique. Ambos lideram ministérios de grande envergadura na evangelização de seus países e vieram à Casa da Palavra para conhecer a estrutura da AMME e serem treinados nas habilidades de administração. Estavam acompanhados pelo pastor Eliel Cesar dos Estados Unidos e foram recebidos pelos missionários Alessandro Miguel (ao centro na foto), Saulo Piloto (à direita), Rosana Garcia e José Bernardo (à esquerda). Além de conviver com todos os missionários que estavam na casa e participar das atividades, receberam o treinamento ‘O Banquete’, desenvolvido pela AMME para a capacitação de líderes em evangelização.  Emocionados e muito satisfeitos, os convidados se despediram da equipe nessa tarde de quarta feira.

Page 60 of 253« Home...102030...5859606162...708090...Última »