Contatos

Acompanhe o trabalho da AMME pela evangelização, apoie essa grande obra.

Para contato por e-mail com o portal da evangelização escreva para: portal@evangelizabrasil.com

Para contato telefônico com a AMME Evangelizar e Salva Vidas prefira ligar para (11) 4428 3222.

Atenção: Novo endereço do escritório da AMME - Avenida Itamarati, 192 - Vila Curuçá, Santo André - SP, 09290-730

Facebook: Curta a página da AMME no Facebook [clique]

Ofertas

A AMME evangelizar é sustentada biblicamente, pelas ofertas daqueles a quem serve (Gl 6:6).

Doe agora (pagseguro), faça sua oferta , com segurança e facilidade. Clique no botão ‘Doar’ e siga as instruções.

 

Deposite sua oferta para AMME no Banco do Brasil Agência: 1557-1 Conta: 115278-5

Para ofertas mensais solicite boletos por telefone: (11) 4428 3222, e-mail: portal@evangelizabrasil.com

Para ofertas em material, equipamento e serviço consulte as especificações pelo telefone (11) 4428 3222

Bookmark and Share

Oficina da AMME

Solicite agora uma oficina de evangelização para a sua igreja. Clique>

Bookmark and Share

O livro de Marcos

Essa é a nova publicação evangelística da AMME para ajudar sua igreja na evangelização. Para mais informações [clique aqui].

Bookmark and Share

A visão de Cristo

Para ajudar a Igreja Brasileira é preciso olhar para ela como Cristo a vê. Conheça o Manifesto da Visão que tem orientado a AMME evangelizar desde a sua fundação. Nossa visão é chamar a Igreja Brasileira de volta ao primeiro amor e ajudá-la a fazer as coisas mais importantes. Seis minutos de leitura: A Visão de Cristo (7884)

Bookmark and Share

11. Você sabe se é da verdade?

#PACI17 – faltam 10 dias

“19 Assim saberemos que somos da verdade; e tranquilizaremos o nosso coração diante dele 20 quando o nosso coração nos condenar. Porque Deus é maior do que o nosso coração e sabe todas as coisas. 21 Amados, se o nosso coração não nos condenar, temos confiança diante de Deus 22 e recebemos dele tudo o que pedimos, porque obedecemos aos seus mandamentos e fazemos o que lhe agrada. 23 E este é o seu mandamento: Que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo e que nos amemos uns aos outros, como ele nos ordenou.” 1João 3:19-23

Como você sabe se a sua fé é verdadeira e não a do outro, ou a dos dois, ou a de todo mundo? Parece elementar, mas muitos crentes não sabem responder a essa pergunta e com a pressão relativista do humanismo e da pós-modernidade, capitulam. Os crentes passam a aceitar que toda fé é boa, faz bem, resumem a religião a boas obras e se juntam ao mundo até não haver mais diferença alguma. João quis desfazer essa confusão e oferece um modo claro e simples de sabermos se nossa fé é verdadeira e se podemos estar seguros no que se refere a Deus que nos julga.

[Ver] O que você vê nesse texto?
Há uma construção gramatical difícil no original e a correta compreensão desse texto depende uma leitura correta. Parece que João abriu um longo entre parênteses para contemplar um fato da vida cristã e possível problema com os hereges, um coração que nos condena, a pressão de eventuais culpas contra os crentes, que podiam leva-los a decisões erradas. Localizar onde estão estes parênteses é a dificuldade que encontramos. Aqui está a possibilidade que parece mais viável: “Assim saberemos que somos da verdade; e tranquilizaremos o nosso coração diante dele (pois se é que o nosso coração nos condene; pois Deus é maior do que o nosso coração e sabe todas as coisas. Amados, se que o nosso coração não nos condene, temos confiança diante de Deus) e se é que peçamos algo, recebemos dele, pois obedecemos aos seus mandamentos e fazemos o que lhe agrada. E este é o seu mandamento: Que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo e que nos amemos uns aos outros, como ele nos ordenou”. Considerando essa redação:

  • Como os crentes podem saber que são da verdade e que benefícios isso lhes traz? “Assim saberemos que somos da verdade; e tranquilizaremos o nosso coração diante dele… e se é que peçamos algo, recebemos dele, pois obedecemos aos seus mandamentos e fazemos o que lhe agrada” – a partícula traduzida como ‘assim’, normalmente se refere ao que vem antes nessa carta. Aqui, porém, para que não fique dúvidas, João repete o estatuto anterior no final do segmento. Portanto o modo de os crentes saberem que são da verdade (que sua fé não os engana), é cuidando para atingirem os resultados que Deus exige e fazerem as coisas com que ele concorda. O primeiro benefício diretamente associado a isso é que seu coração estará seguro, confiante, diante de Deus. É o saber que se é da verdade que traz essa confiança. O segundo benefício é que, se pedirem algo, recebem.
  • E qual é o resultado que Deus exige dos crentes? “E este é o seu mandamento: Que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo e que nos amemos uns aos outros, como ele nos ordenou” – é interessante que não são duas coisas aqui, mas uma só: crer definitivamente (infinitivo) no nome de seu Filho Jesus Cristo e continuar amando uns aos outros (presente do subjuntivo). Sobre crer no nome de Jesus Cristo (e implicitamente confessar isso) é importante voltar ao que o Apóstolo já ensinou em 1Jo 2:22,23 (estudo 5. Você tem o Pai?). João já associou fé e amor na passagem anterior e agora resume isso aqui, qualificando esse mandamento com que os crentes devem amar uns aos outros de acordo com o objetivo dado por Jesus. O apóstolo deve estar se referindo ao momento que relatou em seu evangelho: “Um novo mandamento lhes dou: Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros” João 13:34. O antigo mandamento de amar ao próximo como a si mesmo continua válido, mas há um outro mandamento que se refere à Igreja, à comunidade dos discípulos, que é amar como Jesus amou.
  • Quais são as duas possibilidades em que João polariza o conhecimento da verdade que deixa os crentes seguros diante de Deus? “…pois se é que o nosso coração nos condene; pois Deus é maior do que o nosso coração e sabe todas as coisas. Amados, se que o nosso coração não nos condene, temos confiança diante de Deus…” – João fez uma afirmação e depois apresentou duas situações possíveis, uma no caso de que nosso coração saiba alguma coisa contra nós. Nesse caso Deus é maior do que o nosso coração e sabe melhor do que ele. Deus definiu os objetivos que devemos atingir (mandamentos) e, ao atingir esses resultados, nossa fé é confirmada como verdadeira e estamos seguros. Portanto, verificada essa condenação, sabemos que nosso coração está errado. A segunda possibilidade é que nosso coração não nos condena. Nesse caso estamos ‘plenamente resolvidos’ para com Deus.

[Ouvir] O que você ouve nesse texto?
Defender a fé, falar aquilo que é correto, principalmente em um mundo que exige tolerância, que quer que tudo e todos estejam certos, é um grande desafio. A pergunta que surge é sempre essa: como você sabe que está certo? Por que é que sua fé é verdadeira e não a minha? Diante dessa pressão, muitos crentes já recuaram e relativizaram a fé. Na época de João e na nossa também.

O que João sugeriu em essência, é que, diante desse dilema, os crentes não devem confiar em seu próprio coração. Eles precisam confiar em um parâmetro bem definido de fé no nome de Jesus Cristo evidenciada pela prática do amor conforme definido por ele. Então, como um crente pode saber se sua fé é verdadeira? Quando confessa a pessoa humana e divina do Filho de Deus e essa fé é vivida na prática através de dar a vida pelos seus irmãos. Se o crente examina sua vida e encontra isso lá, se está mantendo esse objetivo, então ele sabe que está na verdade e se sente seguro com isso.

O texto coloca a situação de um tribunal em que nosso coração é o promotor, nós somos o réu e Deus é o justo juiz. Que provas podemos apresentar de que nosso coração está errado? Como podemos resolver completamente a nossa situação com Deus? O esforço do apóstolo para nos trazer clareza faz lembrar o ensino de Paulo, ainda que mais voltado para a qualidade do ministério: “Pouco me importa ser julgado por vocês ou por qualquer tribunal humano; de fato, nem eu julgo a mim mesmo. Embora em nada minha consciência me acuse, nem por isso justifico a mim mesmo; o Senhor é quem me julga” 1Coríntios 4:3,4.

[Sentir] O que você sente nesse texto?
Ao longo da história da Igreja, muito se insistiu na certeza doutrinária, nos catecismos e confissões, para fazer os crentes se sentirem seguros em sua salvação e fé. João é bem mais simples. Inspirado por Deus, ele nos chama à uma fé na pessoa de Jesus, caracterizada pela prática de seu mandamento. Repense a segurança da sua salvação nestes termos bem mais simples, oferecidos pela genuína Palavra de Deus. Volte ao texto e responda às seguintes perguntas.

  • [-] Que coisas esse texto leva você a tirar de sua vida?
  • [+] Que coisas esse texto leva você a somar à sua vida?
  • [/] Que coisas esse texto leva você a dividir com os outros?
  • [x] Que coisas esse texto orienta para multiplicar o Reino?

…………………………………………………
Para mais estudos bíblicos em 1João veja:

01. Você tem comunhão com Deus? 1João 1:5-7
02. Você conhece Jesus? 1João 2:3-6
03. Você está na luz? 1João 2:9-11
04. Você tem o amor do Pai? 1João 2:15-17
05. Você tem o Pai? João 2:22,23
06. Você permanece no Filho e no Pai? 1João 2:24,25
07. Você permanece em Jesus? 1João 3:4-6
08. Você é nascido de Deus? 1João 3:7-10
09. Você já passou para a vida? João 3:11-15
10. Você sabe o que é amor? 1João 3:16-18
11. Você sabe se é da verdade? 1João 3:19-23
12. Você reconhece o Espírito de Deus? 1João 3:24-4:3
13. Você reconhece o Espírito da verdade? 1João 4:4-6
14. Você é nascido de Deus? 1João 4:7-12
15. Você permanece em Deus? 1João 4:13-16
16. Você ama a Deus? 1João 4:19-21
17. Você ama os filhos de Deus? 1João 5:1-3
18. Você tem a vida? 1João 5:10-13
19. Você é ouvido por Deus? 1João 5:14-17
20. Você é nascido de Deus? 1João 5:18-21

Bookmark and Share

2 comments to 11. Você sabe se é da verdade?

  • Raquel

    Sou do ministério Igreja Pentecostal Semente da Fé e sou do ministério de crianças. Gostaria de saber mais sobre o evangelismo.
    Paz do Senhor!!!

  • Raquel, navegue por nosso site, há muitos artigos que vão ajudar você. Quando houver um treinamento da AMME em sua região não perca a oportunidade de participar. Acompanhe também pelo Facebook em http://www.fb.com/AMMEevangelizar/. Outra boa forma de aprender mais sobre evangelização é lendo os livros selecionados pela Salva Vidas, ministério da AMME, veja http://www.salvavidas.biz.

Leave a Reply

  

  

  

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>