Contatos

Acompanhe o trabalho da AMME pela evangelização, apoie essa grande obra.

Para contato por e-mail com o portal da evangelização escreva para: portal@evangelizabrasil.com

Para contato telefônico com a AMME Evangelizar e Salva Vidas prefira ligar para (11) 4428 3222.

Atenção: Novo endereço do escritório da AMME - Avenida Itamarati, 192 - Vila Curuçá, Santo André - SP, 09290-730

Facebook: Curta a página da AMME no Facebook [clique]

Ofertas

A AMME evangelizar é sustentada biblicamente, pelas ofertas daqueles a quem serve (Gl 6:6).

Doe agora (pagseguro), faça sua oferta , com segurança e facilidade. Clique no botão ‘Doar’ e siga as instruções.

 

Deposite sua oferta para AMME no Banco do Brasil Agência: 1557-1 Conta: 115278-5

Para ofertas mensais solicite boletos por telefone: (11) 4428 3222, e-mail: portal@evangelizabrasil.com

Para ofertas em material, equipamento e serviço consulte as especificações pelo telefone (11) 4428 3222

Bookmark and Share

Oficina da AMME

Solicite agora uma oficina de evangelização para a sua igreja. Clique>

Bookmark and Share

O livro de Marcos

Essa é a nova publicação evangelística da AMME para ajudar sua igreja na evangelização. Para mais informações [clique aqui].

Bookmark and Share

A visão de Cristo

Para ajudar a Igreja Brasileira é preciso olhar para ela como Cristo a vê. Conheça o Manifesto da Visão que tem orientado a AMME evangelizar desde a sua fundação. Nossa visão é chamar a Igreja Brasileira de volta ao primeiro amor e ajudá-la a fazer as coisas mais importantes. Seis minutos de leitura: A Visão de Cristo (7380)

Bookmark and Share

Alegrem-se e regozijem-se

José Bernardo

“Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, pois deles é o Reino dos céus. Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa, os insultarem, os perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês. Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é a sua recompensa nos céus, pois da mesma forma perseguiram os profetas que viveram antes de vocês.” Mateus 5:10-12

Recentes eventos contra os evangélicos em diferentes partes do país evidenciam uma insidiosa perseguição religiosa. Oculta em um lisonjeiro discurso de gibeonitas, a perseguição não é imediatamente percebida e, por isso, vai produzindo maior dano. Psicólogos evangélicos estão sendo impedidos de trabalhar, professores são pressionados a não revelarem sua fé, pastores são vigiados e denunciados ao expressarem valores bíblicos. A pretexto de neutralidade do Estado o Governo está financiando o ateísmo e restringindo nossa. Dizendo garantir a liberdade religiosa solapam o direito mais fundamental: expressarmos nossa fé. A pretexto de equanimidade, grupos prioritários estão recebendo dinheiro para propalar seus vícios e imoralidades como se fossem a única postura correta. Como missionários a serviço de Cristo devemos ajudar Sua igreja a ser verdadeiramente evangélica e evangelizadora nessa situação – essa é nossa missão.

Com essa intenção, de preparar a Igreja para a perseguição prevista nas Escrituras e já visível em nosso cenário, iniciamos uma série de encontros que denominamos Resistência Evangélica. O principal elemento desses encontros é a busca de orientação na Palavra de Deus e coube a mim, servo da Palavra, fazer a exposição no primeiro encontro, no dia quatro de abril de 2012. Querendo examinar a primeira referência cristã à perseguição, pensei em tratar do ataque de Herodes e da fuga da sagrada família para o Egito. Então lembrei que no sermão do monte, no texto de nossa leitura, Jesus fez uma referência a evento ainda anterior, que conecta a perseguição aos cristãos àquela feita aos profetas do Antigo Testamento. Vejamos o que o Senhor nos ensina nesse texto.

Bem-aventurados os perseguidos
Mateus organizou os ensinos de Jesus em cinco blocos. As bem aventuranças abrem o primeiro deles. O tema central do primeiro Evangelho é o Reino de Deus em Cristo e, nesse primeiro discursos, Jesus começa ensinando e motivando as atitudes que devem ter as pessoas que se colocam sob o Reino. O ensino é dirigido aos discípulos, mas a multidão o ouve também: “Vendo as multidões, Jesus subiu ao monte e se assentou. Seus discípulos aproximaram-se dele, e ele começou a ensiná-los…” Mt 5:2,3.

Cada ensino é introduzido pela expressão ‘bem-aventurados’, makarios no grego, significando abençoado. Deixe-me fazer uma tentativa de colocar o termo em nosso contexto. Dizer makarioi é como quando olhamos para uma pessoa que se deu bem e dizemos: Sortudo! Depois dessa expressão vem sempre a atitude que o Senhor quer motivar: humildade no Espírito, o lamento (por causa do próprio pecado e o pecado do mundo), a mansidão, a fome e sede das coisas corretas, a misericórdia, a pureza interior, a habilidade de fazer a paz acontecer e finalmente a bem aventurança que estamos examinando. Depois, em cada ensino Jesus apresenta um galardão, uma recompensa que se alcança através da atitude recomendada e deve servir de motivação para observá-la.

É interessante notar que na primeira e na última bem aventurança o galardão oferecido se repete, confirmando que é ao mesmo tempo a recompensa que mais deveríamos desejar e a que têm maior valor entre todas: Basiléia ton uranon, o Reino dos céus. Ser governado, dirigido, orientado por Aquele que se assenta no trono celestial é um privilégio maior do que qualquer outro que se possa imaginar. Quem deseja esse privilégio deve permitir ser completamente rendido pelo Espírito (pobre ‘no agir’ do Espírito) e também agir conforme o Senhor estabeleceu na oitava bênção.

Então, qual a oitava atitude? “Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça” – é fácil perceber que ser perseguido não é uma atitude que possamos tomar. A atitude aqui é buscar a justiça, isto é, o modo correto de viver, mesmo quando sabemos que isso vai gerar perseguição. Do modo como o Senhor disse, fica certo que a perseguição virá para todo aquele que desejar viver em justiça. Então, se estivermos dispostos a viver em corretamente, mesmo sob a pressão da perseguição, já estamos sendo governados por Aquele que se assenta nos céus. Todas as outras bênçãos estão no futuro, indicando a certeza de que sempre virão, mas a bênção de ser governado por Deus está no presente, enfatizando a experiência imediata e contínua.

A bênção excelente
Há diferença entre essas bênçãos? Parece que sim! A oitava bem-aventurança foi a única que o Senhor explicou criteriosamente, em cada um de seus três elementos.

a) Explanando a bem-aventurança. “Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa, os insultarem, os perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês.” – A bem aventurança se refere ao comprometimento com o Senhor Jesus: ‘por minha causa’. Esse comprometimento gerará: o insulto (lit.: repreensão, reprovação, crítica, censura); a perseguição (fazer fugir, por em fuga, mandar embora); a calúnia (lit.: disserem todo tipo de coisas más contra vocês, mentindo).

b) Explanando a atitude requerida. “Alegrem-se e regozijem-se…” – É impossível ler isso e não se lembrar de Neemias dizendo ‘A alegria de Jeová (Ele) é a vossa força’. Essa expressão pode ser interpretada assim: em cumprirem o mandamento fielmente e assim alegrarem ao Senhor, serão fortalecidos. Essa é a graça (karis), que o Senhor se alegre em salvar. Nisso há graça, em que os discípulos desejem tanto o Senhor Jesus e a vida em justiça, segundo Seu Evangelho, que alegremente enfrentem insulto, perseguição e calúnia. A alegria não provém da perseguição, mas do privilégio de ter o céu reinando sobre nossas vidas.

c) Explanando o galardão que motiva. “…porque grande é a sua recompensa nos céus, pois da mesma forma perseguiram os profetas que viveram antes de vocês.” – A recompensa nos céus não trata do evento no futuro, mas da origem no presente. A recompensa já foi declarada, é que os discípulos tenham o privilégio de serem governados desde os céus, não estando mais submissos à carne com suas paixões, ao mundo com suas tentações ou ao diabo com sua maldade. Nisso se identificarão com os grandes homens nas Escrituras. Como verdadeiros profetas, ouvirão o Senhor falar e falarão em nome dele, ainda que isso provoque a maldade dos ímpios à sua volta.

Recebendo o Reino
Na bem aventurança que mais cuidado tomou para explicar, o Senhor ensinou que quem quiser viver do modo correto como Ele ensinou sofrerá perseguição. Ora, isso se refere a nós também e está acontecendo em nossos dias, aqui no Brasil, com todos os que estão verdadeiramente comprometidos em viver conforme o ensino de Jesus. O Senhor ainda nos preveniu do tipo de perseguição que virá e nos orientou para a atitude que devemos ter.

Vivendo a vida cristã como o Senhor mandou, pregando o Evangelho em todo lugar e a todas as pessoas, por exemplo, sempre haverá: a) quem nos critique e censure; b) quem tente nos intimidar e fazer desistir; b) quem fale mal de nós. Sabendo disso, sofrendo essas coisas que magoam e entristecem, devemos enfrentá-las com alegria abundante, não porque sofremos, mas porque somos governados por Deus para a glória eterna, enquanto aqueles que nos perseguem são guiados por sua carne, pelo mundo e por Satanás para a destruição sem fim.

Perderiamos o privilégio de sermos governados pelo Senhor? Deixaríamos de viver conforme o ensino dEle, por medo das críticas, intimidações e calúnias? Deixariamos nosso tesouro real pela amizade com o mundo? É certo que não. Resistamos então, diante da perseguição.

Bookmark and Share

Leave a Reply

  

  

  

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>