A sample text widget

Etiam pulvinar consectetur dolor sed malesuada. Ut convallis euismod dolor nec pretium. Nunc ut tristique massa.

Nam sodales mi vitae dolor ullamcorper et vulputate enim accumsan. Morbi orci magna, tincidunt vitae molestie nec, molestie at mi. Nulla nulla lorem, suscipit in posuere in, interdum non magna.

Evangelizando com Teatro

Uma geração mais visual e menos leitora depende de recursos de comunicação que apelem aos sentidos de modo mais completo. O teatro traz essa facilidade para a igreja

Segundo a Enciclopédia Britanica, a palavra teatro deriva do grego theaomai – olhar com atenção, perceber, contemplar. Theaomai não significa ver no sentido comum, mas, sim, ter uma experiência intensa, envolvente, meditativa, inquiridora, a fim de descobrir o significado mais profundo; uma cuidadosa e deliberada visão que interpreta seu objeto.

Na medida em que nossa cultura se torna mais e mais visual, a grande experiência da Igreja na comunicação, através da literatura, precisa ser modificada para oferecer uma experiência mais completa aos sentidos de nossa audiência. É certo que o cinema e a televisão são mídias muito privilegiadas, mas, frequentemente, estão além das possilibidades em termos de custo e capacidades. O teatro é, então, um meio de comunicar o Evangelho que apela a todos os sentidos,  oferece uma experiência mais intensa com a mensagem e, nesse aspecto, supera até mesmo o cinema e a televisão.

Podemos pensar o teatro mais objetivamente a partir de quatro elementos fundamentais que interferem diretamente no resultado e por isso devem ser considerados atentamente:

Texto: A história a ser contada, a ação a ser representada –  o texto funciona como um plano, e estabelece objetivos serem alcançados. A Bíblia e, especialmente, as histórias bíblicas funcionam muito bem como texto para o teatro. Nesse caso, o grande desafio é a compreensão correta da passagem a ser representada. Também, para a evangelização, histórias não bíblicas que expressem verdades bíblicas  podem produzir bons resultados. O desafio será a interpretação bíblica do tema a ser abordado.

Ator: O modo como o ator entende o texto, sua própria experiência pessoal, sua capacidade de comunicação e até sua situação emocional vão interferir na comunicação ou representação. Portanto, o ator no teatro evangelístico, deve ser escolhido e mantido intencionalmente.

Contexto: Muito do que se ouve do teatro não vem do texto, mas do contexto, isso é, de todos os elementos que ativam a imaginação da audiência e induzem a composição de uma visão particular e pouco controlável do que é mostrado. Muito do que a audiência entende no teatro não foi realmente dito, nem pode ser controlado.

Audiência: As pessoas que assistem ao teatro também contribuem diretamente para o resultado. Sua inteligência, capacidae de comunicação, reserva de informação, estado físico e emocional – tudo vai interferir no resultado.

A evangelização, qualquer que seja o meio de comunicação que usemos, deve sempre partir da mensagem que Deus quer transmitir a uma certa audiência, em uma determinada situação. Essa mensagem dever ser buscada nas Escrituras e em intensa oração.

Na AMME Evangelizar, valorizamos o esquete (sketch em inglês) como forma mais eficiente de usar o teatro na evangelização. Os esquetes são peças que duram poucos minutos, transmitem uma mensagem simples e bastante relacionada com o cotidiano. Os esquetes parecem ter nascido primeiro na televisão, a partir dos quadros humorísticos, e depois alcançaram o teatro de rua.

A familiaridade de situações do dia a dia, o uso de mímica e humor, pouco cenário, figurino e objetos de cena, o tempo curto  – tudo isso faz com que os esquetes sejam um ótimo recurso para a evangelização na rua, em escolas e mesmo na igreja.

A AMME está promovendo através do ministério Salva Vidas várias oficinas práticas para uma evangelização criativa e contextualizada, para maiores informações ligue 4473-4373/ 4428-3222 ou e-mails: atendimento@salvavidas.biz , rosana@salvavidas.bz e fale com a missionária Rosana ou missionário Daniel.

A liderança pode escolher entre vários temas atuais e muito pertinentes para o fortalecimento dos ministérios e crescimento da igreja. As oficinas da AMME são resultado de pesquisa e desenvolvimento e respondem à realidade que as igrejas enfrentam no dia a dia.  Com duração de três a quatro horas e metade do tempo dedicada a atividades práticas, as oficinas deixam muito mais do que informação, e possibilitam a implementação de estratégias produtivas.

Para solicitar uma OFICINA para sua igreja, escolha o tema na lista abaixo e envie agora mesmo um e-mail para portal@evangelizabrasil.com.

#VOS – Ver, Ouvir e Sentir. Como estudar a Bíblia de um modo prático, simples e poderosamente transformador. Esta oficina vai aumentar o interesse pelo estudo da Bíblia e aumentar o conhecimento bíblico de sua igreja.

#VRC – Violência Repetida entre Colegas. Ao apresentar o Evangelho a adolescentes de 12 a 14 anos de idade a VRC (Bullying) é a principal estrutura de pecado a ser enfrentada. Esta oficina vai preparar educadores, evangelistas e pais para tratar desse tema.

#AMI – Evangelização pela Amizade. Esta oficina vai treinar os participantes em um método desenvolvido e testado na evangelização de pessoas religiosas. Sua igreja vai aprender a conduzir pessoas religiosas a uma verdadeira espiritualidade.

#ESQ – Evangelização com Esquetes. O esquete é um drama rápido e intenso, que utiliza pouco ou nenhum figurino e cenário e pode ser apresentado com mímica. É o modelo de teatro preferido da AMME, porque se aplica às mais variadas situações. Os participantes aprenderão a técnica e ensaiarão algumas peças.

#ECO – Evangelização com Objetos. Esse recurso didático muito eficaz tem na AMME, em se tratando de Brasil, sua principal divulgadora. A ECO permite apresentar a mensagem do Evangelho com objetos do cotidiano do ouvinte, produzindo maior compreensão do texto bíblico e melhor fixação.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>