Contatos

Acompanhe o trabalho da AMME pela evangelização, apoie essa grande obra.

Para contato por e-mail com o portal da evangelização escreva para: portal@evangelizabrasil.com

Para contato telefônico com a AMME Evangelizar e Salva Vidas prefira ligar para (11) 4428 3222.

Atenção: Novo endereço do escritório da AMME - Avenida Itamarati, 192 - Vila Curuçá, Santo André - SP, 09290-730

Facebook: Curta a página da AMME no Facebook [clique]

Ofertas

A AMME evangelizar é sustentada biblicamente, pelas ofertas daqueles a quem serve (Gl 6:6).

Doe agora (pagseguro), faça sua oferta , com segurança e facilidade. Clique no botão ‘Doar’ e siga as instruções.

 

Deposite sua oferta para AMME no Banco do Brasil Agência: 1557-1 Conta: 115278-5

Para ofertas mensais solicite boletos por telefone: (11) 4428 3222, e-mail: portal@evangelizabrasil.com

Para ofertas em material, equipamento e serviço consulte as especificações pelo telefone (11) 4428 3222

Bookmark and Share

Oficina da AMME

Solicite agora uma oficina de evangelização para a sua igreja. Clique>

Bookmark and Share

O livro de Marcos

Essa é a nova publicação evangelística da AMME para ajudar sua igreja na evangelização. Para mais informações [clique aqui].

Bookmark and Share

A visão de Cristo

Para ajudar a Igreja Brasileira é preciso olhar para ela como Cristo a vê. Conheça o Manifesto da Visão que tem orientado a AMME evangelizar desde a sua fundação. Nossa visão é chamar a Igreja Brasileira de volta ao primeiro amor e ajudá-la a fazer as coisas mais importantes. Seis minutos de leitura: A Visão de Cristo (7673)

Bookmark and Share

Evangelizar – É Preciso Conhecer antes de Fazer

Se você quer conhecer a realidade de um povo, cultura ou grupo espécifico, para atuar em benéficio dele, a pesquisa pode ser um método eficiente. Sugerimos algumas técnicas que irão direcionar a aplicação dela. Estas orientações estão baseadas no método Urbanos, que foi elaborado para ajudar a igreja a traçar o perfil das pessoas que pretende alcançar com qualquer projeto. Antes de começar a pesquisa, siga alguns passos que facilitarão o trabalho:

A) Junte todo material que possa ser coltado sobre o grupo ou área a ser pesquisada, como mapas, informações, estatísticas, textos, pesquisas etc. Leia e separe este material guardando-o de forma organizada. Sugiro que coloque em pastas, que podem ter os seguintes títulos: a) mapas e estatísticas; b) artigos e teses; c) pesquisas e entrevistas.

B) Leia o questionário direcionador que sugerimos, marcando os pontos nos quais você possui bom mateiral de estudo que possa prover resposta. Marque com verde o que você já tem a informação. Marque, em vermelho, aqueles que  (inicialmente) não são aplicáveis ao grupo que você estuda. Em amarelo, o que precisa pesquisar mais.

C) Faça marcações e anotações no questionário que possam facilitar o uso, para que você possa saber em que pasta encontrar a resposta. Você pode  ter uma pergunta no questionário cuja resposta está em um artigo da pasta de artigos e teses; neste caso, é bom colocar o título do artigo ao lado da pergunta.

D) Desenvolva uma forma de pesquisa que facilite a aplicação. O intuito de uma metodologia de pesquisa é descobrir, estudar e analisar dados verdadeiros que nos levem a ações relevantes. Se desejar ler mais a respeito veja o texto ” Antropologia Cultural” – www.instituto.antropos.com.br . Hoje três instrumentos que são essenciais nesse pesquisa: Coleta de dados, visitas e entrevistas, questionário. O questionário em si, sem uma boa coleta de dados, visitas nos locais de pesquisa e entrevistas, não representa a verdade sobre um grupo ou fato social. É necessário sair do gabinete e ir para fora.

Responda as perguntas de acordo com a facilidade para encontrar as respostas, por exemplo, as perguntas marcadas em verde já possuem as respostas nos materiais das pastas. Depois responda o que você marcou em amarelo. Com tais dados em mãos, você poderá passar à análise e conclusões, que lhe levará a perceber não apenas o perfil do grupo humano com o qual irá trabalhar mas suas particularidades, meios de comunicação e abordagem. Havendo dificuldade de análise,  procure ajuda para a compreensão dos resultados e aplicabilidade a partir da pesquisa realizada.

Questionário direcionador:

Pesquisador:
Local da pesquisa:
Data do início da pesquisa:
Tempo de pesquisa:
Recurso humano envolvido na pesquisa a ser feita:
Área a ser pesquisada ( grupo social, bairro, área ou etnia):
Número de entrevistas realizadas:
População aproximada ( quantidade de famílias que povoam a área a ser pesquisada):

1. Descreva sua área de pesquisa: bairros, ruas, grupos sociais etc.

2. Descreva sua visão geral do que pretende fazer com este grupo ou área.

3. Descreve 4 principais alvos a serem realizados no grupo ou área pesquisada.

4. Descreva ( e registre com fotos, localizando também no mapa) o tipo de moradia mais utilizada pelos habitantes da área.

5. Descreva ( e registre com fotos, localizando também na mapa) o tipo de meio de transporte comunitário presente na área.

6. Pesquise a composição da população que habita a área de interesse.

7. Identifique os pontos de serviço e comércio, e onde estão localizados.

8. Identifique os locais de estudo e ensino.

9. Identifique ( e descreva, além de localizar também no mapa e registrar com fotos) os locais de  ajuntamento religioso.

10. Identifique os locais de apoio social como orfanatos, asilos, creches, penitenciárias e grupo de apoio.

11. Identifique os segmentos sociais e raciais presentes na população.

12. Prepare uma projeção visual com três áreas de compreensão: 1. espaço, tempo e interesse.
Você pode fazer isto desenhando três mapas bem elaborados:

No primeiro (espaço) prepare uma projeção visual (ou mapa) dos dados de localização adquiridos até  o momento, marcando (use cores distintas) onde a população habita, onde estuda, onde comercializa, onde trabalha, onde cultua etc.

Na segunda projeção marque os ciclos de tempo: onde a população está  a cada dia da semana e mês do ano. O centro da cidade, por exemplo, pode ser um local de intensa atividade nos dias comerciais e tornar-se um ambiente vazio nos finais de semana. Nessa época, talvez as praças, praias e outros pontos tornem-se os mais frequentados.

A terceira projeção deverá identificar ás áreas de interesse da população. Em algumas áreas pesquisadas você poderá encontrar uma população centrada no interesse do trabalho, ou do estudo, ou do lazer. Algumas áreas irão demonstrar populações interessadas sobretudo na religiosidade e assim por diante. Nesse caso, as aglomerações estarão ligadas a centro ou espaços destinados a esses fins.

Com estas três amostragens visuais (espaço, tempo e interesse) você terá um ” raio x” do grupo ou área que estuda e poderá direcionar seu projeto ou abordagem de acordo com a população. Este é um momento que requer o desenvolvimento de conclusões mais complexas e, se for o caso, procure ajuda especializada para fazê-lo.

13. Identifique as áreas de carência social e humana da comunidade.

14. Analise e identifique os segmentos da população, ou áreas comunitárias, onde você pretende realizar seu projeto.

15. Desenvolva as abordagens para realização do seu projeto de acordo com as características do grupo alvo. Para uma pesquisa étnica específica, se for o caso, sugiro a utilização do método ANTROPOS que você pode fazer o dowloald no site www.instituto.antropos.com.br

Ronaldo Lidório é pastor, doutor em Antropologia Cultural, atuou como plantador de igrejas em Gana, na África, lidera uma equipe de missionários entre etnias indígenas na Amazônia; é consultor para plantio de igrejas em áreas difíceis.

A AMME está promovendo através do ministério Salva Vidas várias oficinas práticas para uma evangelização criativa e contextualizada, para maiores informações ligue 4473-4373 ou e-mails: atendimento@salvavidas.biz , rosana@salvavidas.bz e fale com a missionária Rosana ou missionário Daniel.

Bookmark and Share

Leave a Reply

  

  

  

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>