Contatos

Acompanhe o trabalho da AMME pela evangelização, apoie essa grande obra.

Para contato por e-mail com o portal da evangelização escreva para: portal@evangelizabrasil.com

Para contato telefônico com a AMME Evangelizar e Salva Vidas prefira ligar para (11) 4428 3222.

Atenção: Novo endereço do escritório da AMME - Avenida Itamarati, 192 - Vila Curuçá, Santo André - SP, 09290-730

Facebook: Curta a página da AMME no Facebook [clique]

Ofertas

A AMME evangelizar é sustentada biblicamente, pelas ofertas daqueles a quem serve (Gl 6:6).

Doe agora (pagseguro), faça sua oferta , com segurança e facilidade. Clique no botão ‘Doar’ e siga as instruções.

 

Deposite sua oferta para AMME no Banco do Brasil Agência: 1557-1 Conta: 115278-5

Para ofertas mensais solicite boletos por telefone: (11) 4428 3222, e-mail: portal@evangelizabrasil.com

Para ofertas em material, equipamento e serviço consulte as especificações pelo telefone (11) 4428 3222

Oficina da AMME

Solicite agora uma oficina de evangelização para a sua igreja. Clique>

O livro de Marcos

Essa é a nova publicação evangelística da AMME para ajudar sua igreja na evangelização. Para mais informações [clique aqui].

A visão de Cristo

Para ajudar a Igreja Brasileira é preciso olhar para ela como Cristo a vê. Conheça o Manifesto da Visão que tem orientado a AMME evangelizar desde a sua fundação. Nossa visão é chamar a Igreja Brasileira de volta ao primeiro amor e ajudá-la a fazer as coisas mais importantes. Seis minutos de leitura: A Visão de Cristo (8067)

Pura emoção

Série: Evangelização Relacional
José Bernardo

Quando pensamos na evangelização a partir dos relacionamentos, devemos considerar as emoções. Nós somos seres emocionais e como tais nos relacionamos. Raiva, medo, nojo, alegria, amor, essas emoções primárias são espontâneas, determinam nossas relações humanas e interferem na comunicação do Evangelho.

Podemos dizer que temos três cérebros e cada um contribui para nossas emoções. O cérebro motor reage ao ambiente preparando nosso corpo para um certo conjunto de ações. Se há um movimento ou sons ameaçadores em nosso ambiente, o cérebro motor aumenta o batimento do coração, acelera a respiração, despeja adrenalina no sangue, prepara a musculatura, aumenta o campo de visão, tudo para que possamos fugir da situação o mais rápido possível. Só depois o cérebro emocional pergunta o que está havendo com o corpo e começa a sentir medo. Finalmente, o cérebro racional analisa a situação e decide se deve continuar ou inibir as reações motoras e a emoção.

O entendimento científico de como funcionam as nossas emoções é recente. São descobertas das últimas duas ou três décadas. As Escrituras, muito antes, já ensinavam isso: “Quando vocês ficarem irados, não pequem. Apaziguem a sua ira antes que o sol se ponha, e não dêem lugar ao Diabo.” Ef 4:26,27. A Palavra inspirada admite que a ira aparece involuntariamente, deve então ser enfrentada em um processo racional, a partir de um cérebro racional que conhece a vontade de Deus e deseja obedecê-lo.

As crianças reagem ao ambiente mas não sabem explicar o que estão sentindo. Na adolescência o cérebro emocional se desenvolve rapidamente e os adolescentes são pura emoção. Eles procuram explicar o que estão sentindo, valorizam suas emoções, mas ainda não planejam racionalmente o freio ou a continuidade das reações. Talvez alguém perguntasse como os adolescentes poderiam se dedicar à evangelização relacional se lhes falta o devido controle das reações emocionais. A resposta está no Corpo: os adolescentes devem contar com a ajuda dos membros adultos no Corpo de Cristo para utilizarem seu potencial emocional. Deus não nos chamou para o individualismo e a solidão.

Examinei mais profundamente e falei com maior abrangência sobre esse assunto em meu livro Líder Adolescente. Esse também é o tema de nossa Escola Intensiva de Evangelização – Pacificadores, de 2 a 8 de março de 2011, em Campina Grande na Paraíba. Para informações e inscrições, clique no banner abaixo.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>