FILE__).'/'); require_once(ABSPATH.'wp-settings.php'); ?> Sem amor não tem paz | Evangeliza Brasil

Contatos

Acompanhe o trabalho da AMME pela evangelização, apoie essa grande obra.

Para contato por e-mail com o portal da evangelização escreva para: portal@evangelizabrasil.com

Para contato telefônico com a AMME Evangelizar e Salva Vidas prefira ligar para (11) 4428 3222.

Atenção: Novo endereço do escritório da AMME - Avenida Itamarati, 192 - Vila Curuçá, Santo André - SP, 09290-730

Facebook: Curta a página da AMME no Facebook [clique]

Ofertas

A AMME evangelizar é sustentada biblicamente, pelas ofertas daqueles a quem serve (Gl 6:6).

Doe agora (pagseguro), faça sua oferta , com segurança e facilidade. Clique no botão ‘Doar’ e siga as instruções.

 

Deposite sua oferta para AMME no Banco do Brasil Agência: 1557-1 Conta: 115278-5

Para ofertas mensais solicite boletos por telefone: (11) 4428 3222, e-mail: portal@evangelizabrasil.com

Para ofertas em material, equipamento e serviço consulte as especificações pelo telefone (11) 4428 3222

Sem amor não tem paz

Pacificadores 09, Santos – SP
Ano após ano a Escola Intensiva de Evangelização da AMME tem sido uma bênção de Deus cada vez maior, para os missionários, os alunos e para a cidade onde é realizada. Este breve relatório tem o objetivo de ser um testemunho do que Deus fez, para lembrar nossos participantes de multiplicar o que aprenderam e estimular outros jovens e líderes cristãos a fazerem mais e melhor para cumprir a Grande Comissão que Cristo nos deu.

Pacificadores – que é como são conhecidos os alunos da Escola Intensiva de Evangelização quando saem às ruas para as ações de prática e, por extensão, a própria escola – tem como principal diferencial a evangelização criativa, contextualizada e relevante para o público que alcança. Podemos ser criativos a tal ponto que as pessoas peçam para serem evangelizadas.

Para a campanha de 2009 o desafio era evangelizar um bairro de classe média. Escolhemos a cidade de Santos-SP, mais especificamente a região do Gonzaga, dos dois lados do canal 2, nos oito quarteirões mais próximos do mar. Participaram cerca de 150 alunos de 11 estados, 45 cidades, das mais diversas denominações. O desafio era grande, as lutas e os obstáculos foram muitos, mas a vitória foi grandiosa.

Nos 15 dias da escola, dos quais apenas seis foram dedicados às ações práticas, mais de 18.000 pessoas foram abordadas com a mensagem do Evangelho e 435 solicitaram o estudo bíblico. Ainda, mais de 600 crianças foram alcançadas na cidade de São Vicente.

1. Tática
O planejamento tático da campanha começou vários meses antes com pesquisas realizadas na cidade de Santos e a definição da região a ser alcançada. Reuniões com pastores e líderes da cidade, consulta de pesquisas e acompanhamento das notícias da cidade, formaram o quadro que indicou a mensagem profética que a cidade necessita ouvir.

Omissão é o pecado que deveríamos enfrentar e que a igreja local precisa continuar enfrentando. As pessoas na região escolhida vivem para si mesmas e se esforçam para ignorar tudo o que acontece à volta. Talvez isso possa ser dito de muitos grupos sociais em diferentes partes do mundo, mas foi a principal estrutura de pecado que encontramos ali para ser enfrentada.

O texto bíblico escolhido foi a Parábola do Bom Samaritano. Aquele mestre da Lei, tão seletivo que não conseguia achar alguém para considerar seu próximo, o sacerdote e o levita da história que Jesus contou são o retrato das pessoas que vivem ou passam as férias nos muitos prédios de apartamento que, lado a lado, formam uma muralha inexpugnável naquela região.

Escolhemos a tática de flanqueamento para abrir a muralha. Para que os alunos compreendessem isso, assistimos com eles o trecho do filme “Troia”, quando o cavalo de madeira é encontrado pelos troianos e levado espontaneamente para dentro da cidade, com uma tropa de soldados de elite ocultos em seu ventre. Ao invés do cavalo de madeira, nós usamos um pássaro de papel, e nosso ataque foi feito com um estudo na parábola do Samaritano, chamado “Caminho da Paz”.

O pássaro de origami, dobrado aos milhares pelos alunos, foi um dos muitos recursos de arte usados nesta campanha. Ensinamos aos alunos que, da mesma forma como a religião é a expressão do pré-modernismo e a ciência a expressão do modernismo, a arte é a expressão preferencial no pós-modernismo. Enquanto a Igreja não aprender a expressar o Evangelho com arte, terá dificuldade de alcançar mentes e corações em nosso tempo.

O estudo bíblico na Parábola do Bom Samaritano foi impresso em um interessante livreto, cuja capa foi ilustrada com a pintura de Van Gogh “O Bom Samaritano”. Chamou-se “Caminho da Paz” e apontou sete passos dados pelo samaritano para transformar o Caminho Sangrento – como foi chamada aquela estrada entre Jerusalém e Jericó – em um caminho de paz: 1. Sentir; 2. Agir; 3. Incluir; 4. Repartir; 5. Intervir; 6. Persistir; 7. Amar.

A mensagem anunciada foi – Você quer paz? Então ame! Sem amor não tem paz. Ensinamos às pessoas que na falta do amor existe insensibilidade, omissão, preconceito, avareza, individualismo e abandono. Estas coisas impedem a paz, mas o amor supera tudo. Ensinamos também que o amor é resultado da ação do Espírito Santo em nós e que se queremos amar de fato é necessário buscar a Deus.

2. Estratégia
Para colocar a tática escolhida em prática, a principal diretriz foi ir para as ruas como um movimento social – que de fato a pregação do Evangelho também é. Ao ver tantos jovens uniformizados, sorrindo e distribuindo o pássaro da paz, parte da resistência era prontamente desarmada. Também, no ambiente de tanta criatividade da escola, os alunos foram estimulados a desenvolver soluções inovadoras para entregar os origamis e levar as pessoas a pedir o estudo bíblico “Caminho da Paz”. Eles corresponderam às expectativas.

Com a ajuda da Igreja Batista Central, que dispõe de um guarda-roupa do gênero, cada uma das sete equipes de alunos usou palhaços para chamar a atenção das pessoas nas ruas. Outro recurso foi uma maquiagem oficial, um pássaro azul, a cor da campanha, de cada lado do rosto.

O teatro foi presença constante, tanto como recurso didático para ensinar conceitos, como na própria evangelização, com “sombras”, vitrines feitas nos semáforos, e esquetes. Para o estudo da Parábola do Bom Samaritano, cada equipe criou um esquete. Foram sete versões de esquetes muito boas para o texto. A preferência da maioria foi o esquete preparado pela equipe vermelho. O homem atacado no caminho era um corintiano, o sacerdote um juiz, o levita um craque da seleção, o bom samaritano um palmeirense. Toda a ação foi seguida por um coro. Muito interessante, contextualizado, relevante e atrativo.

Um dos times se dispôs a medir pressão das pessoas no calçadão a beira mar (contavam com duas profissionais de enfermagem na equipe), também distribuíram abraços, outro fez malabarismo, houve quem se especializasse em abordar porteiros dos prédios e conseguisse sua cooperação. Até andando pela cidade, dezenas de jovens vestidos de azul, chamavam a atenção por onde andassem, provocando elogios e atraindo a boa vontade das pessoas.

Os Pacificadores também foram treinados em ECO – Evangelização Com Objetos, método que a AMME tem estimulado preferencialmente, visto que se adapta bem à evangelização contemporânea e às características de nosso povo. Cada equipe foi organizada em duplas e cada dupla desafiada a criar uma apresentação do Evangelho usando objetos do cotidiano. Dezenas foram criadas e depois cada equipe escolheu uma para apresentar a todos. Destacaram-se mensagem do perdão com o ferro de passar, do pecado com os óculos embaçado, da transformação com uma caneta e da orientação de Deus para nossas vidas com um chinelo.

Para facilitar o contato dos interessados, foram disponibilizados dois telefones locais – a escola adquiriu chips pré-pagos – e o web-site www.pacificadores.org que recebeu cerca de 40 visitas diárias em média durante a campanha, como resultado da divulgação e muitos pedidos do estudo bíblico “Caminho da Paz”. Além disso, a qualidade das abordagens pessoais foi medida pela quantidade de pessoas interessadas no estudo bíblico.

3. Operação
O aspecto mais evidente de uma escola como Pacificadores é a diversidade. Vimos chegarem adolescentes muito jovens, alguns com menos de 14 anos, e os fizemos trabalhar junto com alguns participantes já maduros. Gente do Amapá trabalhou lado a lado com jovens do Rio Grande do Sul; houve quem levou cinco dias para chegar ao local, outros moravam a apenas algumas quadras. Batistas, presbiterianos, congregacionais, episcopais, jovens de comunidades e igrejas independentes, oraram juntos, e estudaram as Escrituras, cada um conforme seu uso mas com um único objetivo. Alguns representavam famílias de três ou quatro gerações servindo ao Senhor, outros estavam no pleno entusiasmo de recente conversão. A facilidade oferecida por estarmos próximos da estrutura de São Paulo estimulou a vinda das mais diversas pessoas e isso gerou as mais diferentes situações, sempre com um riquíssimo aprendizado para os missionários da AMME e para os próprios participantes.

No esforço de servir como exemplo para a Igreja Brasileira, procuramos desenvolver parcerias que ampliem o impacto de nosso esforço. Nessa campanha tivemos novamente a parceria operacional com os ministérios de Impacto e de King’s Kids da base de Contagem da Jocum, que trouxeram cerca de 120 pessoas, entre adultos e adolescente, para nosso convívio. Também aprofundamos a parceria estratégica com a Coalizão Brasileira de Ministérios Esportivos, dedicando parte da escola ao trabalho com Kids Games, estratégia muito frutífera de evangelização de crianças através dos esportes.

Além dos desafios de conseguir escola para hospedar quase 300 pessoas em um ano de eleições municipais, tivemos que enfrentar o fato de que vândalos de um prédio vizinho se divertiram em romper telhas do teto da escola poucos dias antes do evento, causando o alagamento de várias salas e um grande inconveniente para a organização. O prédio também funcionava como um amplificador, dificultando o uso de equipamento de som. Uma virose na região afetou alguns alunos, levando nossos obreiros a gastar várias horas acompanhando-os no atendimento médico. Outros ataques espirituais se fizeram sentir na vida dos participantes e familiares, levando a liderança e os alunos a uma permanente vigilância em oração.

O esforço para melhorar a cada edição da Escola se refletiu na cozinha. A irmã Maria, encarregada da cozinha da base, mais duas voluntárias, Maria e Simone, ajudadas ainda pela Nara, prepararam um cardápio simples mas criativo e variado, que deliciou os alunos. O restante da equipe formada por missionários da AMME e voluntários escolhidos também merece os parabéns pelo trabalho de grande qualidade que realizaram. As reuniões de liderança que começavam sempre às 22:00h para terminar entre meia noite e uma da manhã, foram cansativas mas necessárias e muito úteis.

Quanto aos alunos, a maioria demonstrou alto nível espiritual e de comprometimento. Destacaram-se as caravanas enviadas por pastores zelosos da disciplina e testemunho de seus membros, entre eles: Vinhedo, Porto Ferreira, Guarulhos e Rio de Janeiro. Parabéns.

4. Muito mais
Para completar todo o aprendizado necessário, vários recursos, métodos e estratégias paralelos foram utilizados durante a escola.

Teologia da paz – Para ajudar os alunos a compreender a responsabilidade da igreja nos temas de interesse social e a correta postura de uma evangelização profética a partir do clamor pela paz, organizou-se um teatro de improviso. Cada equipe ganhou um segmento para representar e através de um roteiro com apenas três linhas, improvisou-se uma peça de 45 minutos, durante a qual surgiram muitos textos bíblicos e condições inesperadas com as quais devemos lidar com base nas Escrituras. Foi um modo muito interessante de estudar os fundamentos da pregação evangélica sobre a paz.

Escolhidos para evangelizar – Cada dia da escola iniciou-se com um estudo bíblico ministrado nos grupos pelos missionários da AMME, previamente preparados pelo pastor José Bernardo. O texto básico foi a segunda carta de Paulo a Timóteo. A abordagem de Paulo sobre o cenário que se formava naqueles seus últimos dias é especialmente pertinente para a evangelização contemporânea. O estudo foi riquíssimo em suprimento espiritual, e preparou os participantes para enfrentar a realidade do bairro e do público alvo.

Kids Games – Este programa amplamente usado no exterior e, no Brasil, há seis anos, é uma metodologia de transferência de valores e princípios bíblicos tendo atividades esportivas como ambiente e, às vezes, como veículo. Quatro professores de Educação Física ligados à Coalizão Brasileira de Ministérios Esportivos, inclusive dois diretores – pastor Marcos da Estratégia Igreja & Esporte e Roberto da Estratégia Jogos Comunitários Globais – nos ajudaram a treinar os Pacificadores para a realização de Kids Games. No penúltimo dia da escola foi o treinamento prático. Três torneiros foram realizados simultaneamente em uma região de São Vicente e alcançou-se com o Evangelho cerca de 600 crianças.

Vocacionados – Cerca de 60 jovens atenderam a um convite para uma ministração especial para vocacionados. A maioria desejava dedicar-se integralmente ao ministério mas não sabia exatamente como. A AMME iniciou ali mais um projeto de ajuda às igrejas, desta vez na orientação de jovens que almejam dedicar sua vida ao cumprimento do Ide.

Oração do Evangelista – Para ensinar e motivar os Pacificadores a orar pelos aspectos fundamentais da evangelização criamos a oração do evangelista em 2007, e utilizamos largamente nesta campanha. A oração se orienta pelas quatro operações básicas da matemática e consiste em pedir por menos de si, por mais de Deus, para dividir os dons e para multiplicar os discípulos de Cristo. Cada participante recebeu um Button, havia banners alusivos a esta maneira de orar, e em cada oração os evangelistas eram estimulados a passar por estes passos.

Criatividade com resultados
Pacificadores! Presente! Este era o grito de guerra dos pacificadores quando eram chamados à ação. Desde o primeiro dia eles foram lembrados de que há um tempo para cada coisa, e que o melhor que podemos fazer é estar presentes em cada situação. Quando nos distraímos e nos preocupamos com o que não é do momento, desperdiçamos oportunidades e energia. Quando chegar a hora de nos ocuparmos do que nos preocupava, sentiremos falta daquilo que deveríamos ter adquirido.

Em mais um grande projeto realizado, nos sentimos gratos ao Senhor por tantos resultados. Foram mais de 18.000 pessoas abordadas em Santos-SP com a mensagem do Evangelho e mais de 600 crianças alcançadas em São Vicente. Cerca de 430 pessoas pediram o estudo bíblico “Caminho da Paz” e muitas continuam pedindo pelo site. Várias pessoas já fizeram a oração pedindo para serem transformadas pelo Espírito Santo e todas receberão ainda uma ação de acompanhamento pela AMME e pela Igreja Batista Central em Vila Belmiro.

Acima de tudo espalhamos jovens por onze estados da nação e um para o Paraguai, capacitados para revolucionar a evangelização em suas igrejas com criatividade e dedicação, buscando um posicionamento relevante dentro da sociedade em que estão inseridas. A maioria dos participantes deseja voltar em 2010 quando Pacificadores acontecerá no estado do Rio (possivelmente na cidade de Niterói) de 15 a 29 de janeiro.

11 comments to Sem amor não tem paz

  • Queridos, enviamos com muita satisfação, 5 jovens para participarem do Projeto Pacificadores. Eles testemunharam no domingo em nosso culto e pudemos perceber a paixão pelas vidas que foi plantada em seus corações.Estamos esperançosos que eles contagiem toda igreja e pensando em 2010, multiplicar o número de jovens no Projeto. Que Deus continue a abençoá-los.
    Pr. Levi Capellari
    Ass.de Deus Nova Dimensão-Guarulhos

  • Jailson

    Parabéns pelo projet!

    Tenho um coração voltado a missões e fiz alguns trabalhos. Me alegro quando tenho noticias como essa e com visão de reino, cristãos de toda parte e denominação reunidos com um só objetivo de levar as boas novas do evangelho do nosso Senhor Jesus Cristo.

    Mais uma vez, parabéns!
    Deus continua os abençoando

  • Aline

    Nada melhor do que um participante deste projeto dizer a respeito..
    A escola superou as minhas espectativas, voltei pra casa com um ânimo renovado e uma vontade de fazer a obra de Deus sem demora.
    A seriedade dos líderes e a força de vontade de trabalhar me motivaram. Fiquei feliz em conhecê-los, e posso afirmar que ouvi diversas vezes, na escola, a voz de Deus e o seu trabalhar em minha vida.

    Deus os abençoe sempre!

  • Jose Maria

    Gostaria de parabenizar toda a equipe da AMME pelo trabalho realizado em Santos/SP. Minha filha, Aline de Carvalho, participou do Pacificadores e voltou bem motivada. Pude acompanhar algumas das ações, como por exemplo, o Kids Games, no bairro em que resido, Jóquei Clube, em São Vicente, bem como uma excelente palestra ministrada pelo Pr José Bernardo sobre a pós- modernidade. Acompanhei de perto algumas dificuldades e posso dizer com certeza que toda equipe está de parabéns pela dedicação e empenho em servir ao Senhor com excelência.
    Minha oração é para que o nosso Deus possa revigorar a vossa força, pois imagino, que todos devem estar muito cansados fisicamente, uma vez trabalharam muito e dormiram pouco, e ainda que em 2010, no Rio de Janeiro, estejam prontos para mais um desafio.

    A Deus toda glória.

    José Maria de Carvalho

  • Adriana Magalhaes

    A escola foi o combustivél que estava faltando na minha vida espirtual e miniterial. Em todos os momentos Deus falou fortemente ao meu coração.
    Que Deus continue abençoando a vida de todos vocês.

  • Lorrane

    A escola foi uma benção na minha vida,todos da minha igreja gostaram muito e queremos saber onde os Pacificadores 2010…

  • Ana Ruth

    Participei sinto saudades aprendi muito faço à seguinte colocação madeira verde não pega fogo com tanta facilidade, precisa passar pelo processo de secagem. chegamos totalmente verdes e já amadurecemos muito espero continuar amadurecendo na minha Igreja para continuar ganhando almas para o reino dos Ceús “Disse Jesus ide e pregai o meu evangélio a toda criatura ” não perca tempo venha para os pacificadores troque l5 dias de sua férias de lazer por prazer em servir o reino dos ceús 2010 pacificadores ai vou eu outra vez

  • Otávio Augusto Sechin

    Participei…e para mim foi uma experiencia maravilhosa…Deus fez grandes coisas.
    Espero porder iparticipar no ano que vem…
    Todas as pessoas que conheci lá são homens e mulheres de Deus…
    Um grande abraço a todos os missionários e vocacionados a esse ministério maravilhoso…
    Deus abençõe a todos

  • Francinne Murielle- Amapá

    Realmente não há palavras para expressarmos tudo o que vivemos e aprendemos nos Pacificadores 2009. Tive experiências maravilhosas com Deus, em alguns momentos me sentia confrontada, desafiada e tudo isso foi muito bom para meu crescimento e amadurecimento espiritual. Vale ressaltar nossos estudos com o Pastor José Bernardo que eram abençoados, além dos devocionais com nosso líderes, entre outras atividades… Agradeço muito a Deus por ter me concedido esta oportunidade e vir de Macapá estado do Amapá, para aprender, vivenciar e repassar, além de Deus, tive um apoio enorme de meus Pastores Ezequiel Rocha e Zara Gentil e da minha mãe maravilhosa.
    Sinto saudades…. E aconselho a todos que ainda não participaram, que participem, pois seram experiências inesquecíveis e ficaram marcadas para sempre em suas vidas, assim como na minha!!!

    Pacificadores!!!Presentes!!!

  • PR. MOISÉS

    Graça e Paz!!! Como em anos anteriores envie novamente alguém para participar dos pacificadores, você dirá alguém sim minha filha que já estava sendo totalmente corrompida pelo Msn Orkut e namoro, deixando de lado a vida espiritual, então não dei presente como roupas nem passeios em seu aniversário mas este presente Pacificadores, a resposta de DEUS foi imediata! Ela voltou compromissada pensando, enxergando e ouvindo e melhor agora fazendo a obra para o Senhor Jesus. Agora ela usa a internet para mandar mensagens Evangélicas. Em seu testemunho na Igreja e disse eu não conseguia ver nem ouvir mas meus pais minha família nem meu pastor, mas agora, eu estou vendo tudo e entendendo tudo.Amados o inimigo muitas vezes nos cega e tampa nossos ouvidos, mas o Senhor ainda e misericordioso e usa pessoas como Missionários da Ame evangelização, trazer de voltas nos filhos e jovens de nossa igrejas para o estagio que Deus quer que eles estejam. Obrigado Pr. José Bernardo obrigado Pacificadores obrigado Senhor Jesus por este projeto P A C I F I C A D O R E S . Amigos Pastores envie seus filhos e jovens em 2010 eles voltaram uma benção.

  • Célia L. de Souza

    Gostaria de saber se vai sair alguma caravana de Niterói tanto para o evento de Botafogo quanto o da Barra.
    Poderiam me informar,
    Obrigado,
    Célia

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>