A sample text widget

Etiam pulvinar consectetur dolor sed malesuada. Ut convallis euismod dolor nec pretium. Nunc ut tristique massa.

Nam sodales mi vitae dolor ullamcorper et vulputate enim accumsan. Morbi orci magna, tincidunt vitae molestie nec, molestie at mi. Nulla nulla lorem, suscipit in posuere in, interdum non magna.

Ore hoje por missões

Ore hoje pelo povo não-alcançado: Curdo Central do Iraque

Veja o mapa (aqui)

População: 486,000

Língua : Curdo Central

Religião: Islamismo

Evangélicos: 0,00%

Fonte: Joshua Project

Motivos de Oração:

Leia um pouco sobre esse povo e depois ore pela vida deles:

Curdos no Iraque

Os curdos liderados por Mustafa Barzani estiveram em luta contra os sucessivos regimes iraquianos de 1960 a 1975. Em março de 1970, o Iraque anunciou um plano de paz contemplando a autonomia curda. O plano seria implementado em quatro anos. No entanto, ao mesmo tempo, o regime iraquiano iniciou um programa de arabização nas regiões ricas em petróleo de Kirkuk e Khanaqin. O acordo de paz não durou, e em 1974, o governo iraquiano iniciou uma nova ofensiva contra os curdos. Além disso, em março de 1975, Iraque e Irã assinaram o Pacto de Argel, de acordo com o qual o Irã cortava suprimentos para os curdos iraquianos. O Iraque iniciou outra onda de arabização enviando árabes para os campos de petróleo no Curdistão, particularmente aos arredores de Kirkuk. Entre 1975 e 1978, duzentos mil curdos foram deportados para outras regiões do Iraque.

Durante a guerra Irã-Iraque na década de 1980, o regime implementou políticas anticurdos e uma guerra civil de facto eclodiu. O Iraque foi amplamente condenado pela comunidade internacional, mas nunca foi seriamente punido pelos meios opressivos que utilizou tais como assassinato em massa de centenas de milhares de civis, a destruição generalizada de milhares de aldeias e a deportação de milhares de curdos para o sul e o centro do Iraque. A campanha do governo iraquiano contra os curdos em 1988 foi chamada Anfal (“Pilhagem de Guerra”). Os ataques Anfal levaram à destruição duas mil aldeias e entre 50 e 100 mil curdos foram mortos.

Após o levante curdo de 1991 (em curdo: Raperîn) liderado pela União Patriótica do Curdistão (UPC) e pelo Partido Democrático do Curdistão (PDC), tropas iraquianas recapturaram as regiões curdas e centenas de milhares de curdos fugiram pelas fronteiras. Para suavizar a situação, uma “zona de exclusão” foi estabelecida pelo Conselho de Segurança da ONU. A região autônoma curda ficou sendo controlada principalmente pelos partidos rivais UPC e PDC. A população curda recebeu com prazer as tropas americanas em 2003. A área controlada pelas forças curdas foi expandida, e os curdos agora têm o controle efetivo em Kirkuk e em partes de Mosul. No início de 2006, as duas regiões curdas foram unidas em uma região unificada. Uma série de consultas populares está agendada para 2007, para determinar as fronteiras definitivas da região curda.

fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Curdos#Curdos_no_Iraque

O que eles acreditam?
A maioria dos curdos são muçulmanos, e hoje cerca de 75% são na maioria membros do ramo sunita (pelo menos nominalmente). Aproximadamente quatro milhões de curdos são muçulmanos xiitas, que vivem principalmente no Irã, onde a fé xiita é predominante.

Quais são as suas necessidades?
Na Turquia, onde o maior contingente de curdos vivos (40%), são vistos como uma ameaça pelo governo turco, que tem continuamente procurado para assimilar os curdos turcos na sociedade através de reinstalação forçada. Até recentemente, era um crime um curdo falar em público.

O Tribalismo ainda é um fator entre os curdos, promovendo diversas facções que enfraquecem a possibilidade de uma pátria independente. Os curdos no Iraque têm os seus próprios confrontos entre os dois principais partidos, Partido Democrático do Curdistão (PDK) e pela União Patriótica do Curdistão (PUK). Embora o envolvimento da ONU no norte do Iraque tem necessariamente dado continuidade à causa política dos curdos, a questão da autonomia curda continua por resolver. Uma possível solução para este problema é conseguir um verdadeiro acordo sobre algum tipo de auto-governo.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>