FILE__).'/'); require_once(ABSPATH.'wp-settings.php'); ?> Ig. Perseguida 4 – República das Maldivas | Evangeliza Brasil

Contatos

Acompanhe o trabalho da AMME pela evangelização, apoie essa grande obra.

Para contato por e-mail com o portal da evangelização escreva para: portal@evangelizabrasil.com

Para contato telefônico com a AMME Evangelizar e Salva Vidas prefira ligar para (11) 4428 3222.

Atenção: Novo endereço do escritório da AMME - Avenida Itamarati, 192 - Vila Curuçá, Santo André - SP, 09290-730

Facebook: Curta a página da AMME no Facebook [clique]

Ofertas

A AMME evangelizar é sustentada biblicamente, pelas ofertas daqueles a quem serve (Gl 6:6).

Doe agora (pagseguro), faça sua oferta , com segurança e facilidade. Clique no botão ‘Doar’ e siga as instruções.

 

Deposite sua oferta para AMME no Banco do Brasil Agência: 1557-1 Conta: 115278-5

Para ofertas mensais solicite boletos por telefone: (11) 4428 3222, e-mail: portal@evangelizabrasil.com

Para ofertas em material, equipamento e serviço consulte as especificações pelo telefone (11) 4428 3222

Ig. Perseguida 4 – República das Maldivas

Manteve-se em quarto lugar na perseguição aos cristãos. No arquipélago da República das Maldivas, o Islamismo é a religião oficial do Estado, e todos os cidadãos devem ser mulçumanos. A lei sharia é observada, lei essa que proíbe a conversão do Islamismo para outra religião. O convertido pode perder a cidadania. É proibido praticar qualquer outra religião que não o Islamismo, pois se considera essa religião um importante instrumento para estimular a união nacional e para manter o poder do governo. Por isso, é impossível abrir alguma igreja, embora permitam que os estrangeiros pratiquem sua religião em particular, desde que não encorajem a participação dos cidadãos. Não se pode importar Bíblias e outros materiais cristãos, exceto apenas uma cópia para uso pessoal. No país — um dos menos evangelizados da terra —, há apenas um punhado de cristãos nativos, e eles vivem sua fé em total segredo por causa do controle social onipresente praticado por outros maldívios. A falta de respeito pela liberdade religiosa permaneceu a mesma na República das Maldivas durante o ano de 2007.

O governo, após ataques a bomba contra embaixadas ocidentais, tomou atitudes ativas para refrear o Islamismo radical. Em dezembro de 2007, houve um atentado fracassado contra a vida do presidente Gayoom. Os principais suspeitos, mais uma vez, eram extremistas mulçumanos. Este ano, não houve relato de cristãos nativos presos nem de cristãos que tenham sido deportados do país.

Dados gerais

Capital Male
Governo Repúbilca chefiada pelo presidente Maumoon Abdul Gayoom desde novembro de 1978
População 379,1 mil (29,7% urbana)
Área 298 km2
Localização Arquipélago no Oceano Índico
Idioma Maldívio
Religião Islamismo 100% (dados oficiais)
População cristã Não estimada
Perseguição Opressão severa
Restrições O islã é a religião do Estado, e a prática de qualquer outra é proibida.
Fonte do texto acima: Portas abertas

www.portasabertas.org.br

Mais Informações da Região

República das Maldivas (em maldívio ދިވެހިރާއްޖޭގެ ޖުމުހޫރިއްޔ, Divehi Rajjeyge Jumhuria) é um pequeno país insular situado no Oceano Índico ao sudoeste do Sri Lanka e da Índia, ao sul do continente asiático, constituido por 1.196 ilhas, das quais 203 são habitadas, localizadas a cerca de 450 km ao sul da península do Decão. A sua única fronteira real é com o território indiano das Laquedivas, a norte, mas são também os vizinhos mais próximos do Território Britânico do Oceano Índico, um conjunto de ilhas localizadas ao sul das Maldivas.

Estão agrupadas em 26 atóis, cada um possuindo o nome de uma ou duas letras da escrita Thaana. Seu nome seria derivado de maldwipa, no idioma malabar, onde mal significa “mil” e dwipa, “ilhas”, ou do sânscrito Malaya(vara)dwipa, “ilhas de Malabar“.[1]

Possuí um clima tropical e úmido com uma precipitação aproximada de 2000 mm ao ano. O Islã é a religião predominante, a qual foi introduzida em 1153. Foi colônia portuguesa (1558), holandesa (1654) e britânica (1887). Em 1953 tentou-se estabelecer uma república, mas poucos meses depois se restabeleceu o sultanato. Obteve a independência em 1965 e em 1968 foi reinstaurada a república, contudo, em 38 anos o país só teve dois presidentes, ainda que as restriçõess políticas tenham diminuído recentemente. É o país menos povoado da Ásia e o menos povoado entre os países muçulmanos.

Economia

A economia das Maldivas foi durante séculos totalmente dependente da pesca e de outros produtos marinhos. Por esta razão a pesca tem sido e ainda permanece sendo a principal ocupação da população. Este fato também tem significado que o governo dá uma prioridade especial a seu desenvolvimento.

Além da pesca, outra atividade que tem crescido durante os últimos anos é o turismo. Seu desenvolvimento tem criado direta e indiretamente emprego, e tem gerado oportunidades de trabalho em outras áreas, como a indústria. Na atualidade o turismo é a principal fonte de ingresso de moeda estrangeira, contribuindo com cerca de 20% do PIB. Com 86 centros turísticos em operação, no ano 2000 foram recepcionados 467.174 turistas estrangeiros.

A maior parte dos alimentos é importada. O país sofreu consideráveis danos com o tsunami de dezembro de 2004

Demografia

: 290.000 habitantes (2000), compasta de maldívios 97%, árabes 2% e outros 1%. (1996). Malé é a capital e cidade principal das Maldivas, possuia 62.973 habitantes em 1995.

A cultura das Maldivas foi influenciada por diversos fatores e fontes. Estes incluem sua proximidade com o Sri Lanka, o sul da Índia, o leste da África, a Insulíndia e o Oriente Médio. São notados na cultura do pequeno país, características oriundas da Árabia e da Indonésia. A cultura das Maldivas ainda compartilha semelhanças em muitos aspectos com a encontrada no já citado Sri Lanka e em Kerala.

A música das Maldivas teve suas raízes na cultura africana. Um dos exemplos de gêneros musicais encontrados é o Bodu-Beru, muito conhecido no país.

Artes e culinária

Assim como outras características da cultura, as manifestações artísticas e a culinária local possuem grande influência das culturas encontradas na África e na Ásia.

Religião

As Maldivas são quase exclusivamente uma sociedade islâmica. Acredita-se que o islamismo tenha chegado ao país por volta do século XII. Devido ao seu “isolamento” dos centros históricos do islã no Oriente Médio e na Ásia, no entanto, algumas opiniões e atitudes pré-islâmicas sobreviveram com o passar do tempo.

Divórcio

Uma característica da sociedade que se destaca, dado o fato de ser uma nação islâmica, é o número elevado de casamentos que terminam em divórcio. Isso demonstra certo grau de autonomia que as mulheres das Maldivas possuem sobre suas vidas.

Cultura popular: os Jinns

Vários habitantes acreditam na existências dos jinns (termo árabe que significa “Gênio”) ou “espíritos ruins”. Para se protegerem da influência destas entidades, as pessoas utilizam diversos recursos, tais como rituais.O estudo desta tradição fez com que observadores identificassem um sistema mágico-religioso paralelo ao islamismo, conhecido pelo nome de fanditha, que forneceria, segundo os crentes, a melhoria em suas vidas e a solução de problemas pessoais.Entretanto, está é uma tradição que está morrendo e, atualmente, é mais encontrada nas áreas rurais do país.

Fonte dos dados acima: http://pt.wikipedia.org/wiki/Maldivas

1 comment to Ig. Perseguida 4 – República das Maldivas

  • Queridos louvado e engrandecido seja o Eterno e Soberano Deus do Universo! Por suas preciosas vidas e compromisso em pesquisas e estudos que de fato tem sido de grande benção para todo o corpo de Cristo.
    Sou missionário em Jocum-Goiania.
    Tenho 21 anos de idade, há 12 anos estou com Jocum.
    Gostaria de saber acerca de atividades que estão sendo desenvolvidas nas Ilhas Maldivas. Se existem agências missionárias..

    Muito obrigado por terem publicado a cerca desta Nação tenha certeza que estarei orando e crendo na transformação que Deus irá por seu poder gerar em cada um daqueles que ali vivem!!

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>